Mulheres baianas preferem distância da disputa eleitoral

18 07 2008

Maioria do eleitorado da capital baiana, as mulheres mantêm enorme distância da política eleitoral. É o que revelam as estatíticas oficiais divulgadas pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE). Dos 880 candidatos a vereador, inscritos em Salvador para as eleições municipais de outubro, apenas 180 são mulheres. A desproporcionalidade está em desacordo com a Lei Eleitoral 9.504/97 e a Resolução 22.717 que determinam que 30% das candidaturas de um partido sejam preenchidos por mulheres.

Das 15 coligações e partidos que registraram candidatura de vereador no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), apenas duas chegaram ao teto exigido por lei: A Voz da Cidade, que envolvem o PRB, PTdoB e PSDC, e Salvador de Todos Nós do PT e do PCdoB.

Ao interpretar estes índices ontem, o professor de sociologia Geraldo Reis afirmou que apesar das profundas transformações demográfica, urbana e de consciência vividas até o século XXI pela sociedade brasileira, permanecem as formas de exploração e dominação.  “As mulheres já ampliaram a ocupação de espaço no mercado de trabalho, por exemplo, mas ainda sofrem discriminação. Os avanços não foram suficientes para elevar o percentual de participação na política”, opinou.

Petista histórico, o sociólogo Geraldo Reis observou que no âmbito da coligação PT-PCdoB, a cota de 30% foi alcançada porque nas duas legendas existem políticas internas de preservação do espaço para as mulheres. “No caso do PT, existem cotas internas para a presença feminina no diretório, na Executiva e no processo eleitoral”.

O PSDB foi o partido que apresentou o menor número de mulheres candidatas: apenas duas. “Muitas candidatas desistiram e o fato de não repetírmos a coligação da majoritária também contribuiu para essa diminuição do número de mulheres”, justificou o presidente municipal do PSDB, Arnando Lessa.

De acordo com a legislação eleitoral, todas as legendas que não conseguiram preencher o número mínimo de candidaturas femininas ficaram impedidas de apresentar o máximo de candidatos que é 62 por partido e 82 por coligação.

Os dados divulgados pelo TRE indicam, ainda, que a eleição proporcional de vereadores será acirrada, quando comparada ao pleito de 2004, em que 741 candidatos disputaram as 41 vagas da Câmara Municipal. A concorrência é digna de concurso público, são 21,4 candidatos disputando uma das vagas.

Apesar de ter sido divulgado o balanço das candidaturas, esse número poderá mudar. Isto porque a Justiça Eleitoral tem o prazo até o dia 16 de agosto para julgar todos os registros.

Em todo o estado são 28.786 candidatos a vereador e 1.264 postulantes a prefeito nos 417 municípios. Em Salvador são cinco. Um dado curioso sobre os candidatos diz respeito ao cargo que ocupam. Dos cerca de 1,2 mil, 150 são prefeitos que concorrem à reeleição. Cento e catorze são médicos, 107 empresários, 122 comerciantes; 101 agricultores, 34 vereadores, 11 deputados, um cantor e compositor e sete padres ou pastores.

***


Ações

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: